Suécia

26 July 2016

A Suécia é um país que joga tendências no resto da Europa. Aqui eles parecem sempre estar um passo a frente no que diz respeito à evolução. Uma das coisas que você nota primeiro é que enquanto a Europa está toda falando sobre abolir dinheiro em espécie, a Suécia já está colocando isso em prática. Há restaurantes e bares que tem placas dizendo: "não aceitamos dinheiro, só cartão de crédito" e eles pagam centavos no cartão de crédito.

Outra tendência ou palavra na moda é a proteção do meio ambiente e um estilo de vida sustentável. Tanto o meu guia de viagens quanto o livro de recepção do hotel onde eu fiquei enfocavam um assunto: o turismo ecológico na Suécia e a preocupação com o meio ambiente. De acordo com o livro do hotel a meta da rede de hotéis era fazer negócios com fornecedores que mantivessem uma linha de produção correta: sem trabalho infantil, sem trabalho escravo, com horas de trabalhos decentes e com uma produção que fosse sustentável a longo prazo. Sustável quer dizer que seja uma produção que não vá destruir o meio ambiente nem causar desequilíbrio.

Eles não querem só alugar um quarto, eles querem vender um conceito. E eles querem que as pessoas escolham ficar nessa rede de hotéis porque elas vão estar ajudando o mundo escolhendo um produto com um conceito politicamente correto. É também o conceito que algumas marcas de roupas e alimentos seguem: chocolate de plantações que respeitam o meio ambiente e não usam trabalho infantil, roupas que não ocupam empresas que usam trabalho escravo na China (caso alguém não saiba sobre os escândalos de trabalho escravo é só procurar escândalos da Nestlé no Brasil ou fábricas de tecidos na Ásia).

Por mais que eu ache que esse é o caminho certo para se seguir, eu ainda vejo que mesmo na Escandinávia a sociedade ainda está muito distante do ideal procurado. Mesmo nesse hotel, que tenta carregar o "selo verde" ainda se vê várias discrepâncias: ainda se distribui sacolas plásticas, ainda se usa copos descartáveis para café, não há transparência sobre como se reaproveitam os restos de comida no hotel. Mas apesar da prática ainda ter que ser aperfeiçoada, o conceito já foi lançado. Seja por que é rentável ou por amor à natureza é uma forma de canalizar dinheiro para um bom propósito. Eu particularmente acredito que seja um negócio rentável, ninguém dá ponta sem nó.

Como destino de férias a Suécia é cara mas vale a pena. Estocolmo no verão tem muito a oferecer, desde bares flutuantes, até museus no meio de florestas (procurem Artipelag). Mas acho que o maior espetáculo são os dias longos. Nós fomos a uma cidade chamada Lule√•, no norte da Suécia e nessa época do ano não fica noite. O sol se põe, mas o céu não escurece. Um copo de vinho pra ver o sol se pôr às 23:00 é uma experiência e tanto. O norte da Suécia também oferece uma paisagem muito bonita: provavelmente a cada 10 km há um lago e sempre muito verde.

Aqui vão dicas de restaurantes/bares pra se visitar em Estocolmo:

Hotel: Nordic C hotel

Restaurantes:

Broms, Karlavägen 76, 114 59 Stockholm, Sweden

Mälarpaviljongen, Norr Mälarstrand 64, 112 35 Stockholm, Sweden

Greasy Spoon, Tjärhovsgatan 19, 116 28 Stockholm, Sweden

Fotografiska, Stadsgårdshamnen 22, 116 45 Stockholm, Sweden

Mosebacke terassen, Mosebacke Torg 1—3, 116 46 Stockholm, Sweden

Sturegallerian AB, Stureplan 4, 114 35 Stockholm, Sweden